Blog

10 dicas para criar uma página de produto que converte

Rafael Damasceno

*Artigo escrito pelos nossos amigos da Vidmonsters

Quem está focado em CRO (Otimização da página de conversão) provavelmente já entende sobre a importância de uma página de produto que converte. As famosas landing pages, ou páginas de vendas, são a última etapa na qual você está em contato com o lead e precisa convencê-lo de que a compra realmente vale a pena. Além disso, é um momento do “tudo ou nada” e precisa de ter um alto poder de persuasão.

Em uma estratégia de tráfego orgânico, pago ou ainda em uma integração entre essas duas possibilidades, você precisa entender bem quem é a sua persona para atrair esse perfil para o seu negócio. Normalmente esse lead é inserido em um funil de vendas e educado para o grande momento.

Entretanto, o que fazer para aumentar as chances de fechar uma venda? Neste artigo, mostraremos 10 técnicas interessantes para que você otimize os resultados nessa etapa. Boa leitura!

O que é uma página de produto?

Para definir de uma maneira simples, a página de produto é aquela em que um produto ou serviço é apresentado para que o usuário compre. Claro, você provavelmente quer aumentar as chances de vendas e são os elementos apresentados nesse momento que farão toda a diferença.

Talvez você já tenha estudado um pouco sobre landing pages e já entende que quanto mais focada na conversão for essa página, menor será a distração e maiores as possibilidades do potencial cliente fechar a compra.

Mas na prática, nem tudo é tão simples quando falamos sobre conversão em  uma página de produto. Nela, seu cliente potencial espera informações de qualidade, seguras e a possibilidade de um canal para tirar dúvidas e comprovar aquilo que você está falando.

O que a página precisa ter para converter?

Toda vez que você coloca um produto à venda, é porque acredita que ele está alinhado à sua empresa e também que existe um público para ele, certo? Por isso, uma página de vendas precisa ter alguns elementos que corroboram com esses fatores. Afinal, seu cliente está decidindo sobre a compra e você não tem um vendedor que pode acompanhá-lo para o fechamento desse processo.

Os principais fatores (que variam de acordo com seus produtos e/ou serviços) que podem ser observados na página de produto são:

  • texto descritivo, imagens e vídeo do produto — é fundamental pensar que você não conhece o que está vendendo, tente responder a todas as dúvidas que possam surgir e apresentar isso em vários formatos para facilitar o entendimento do lead;
  • informações claras;
  • valor, garantia, prazo de entrega e campo para o cálculo do frete no caso de produtos físicos;
  • lista com benefícios;
  • prova social — depoimentos de outros compradores e avaliações nas redes sociais. O mecanismo de mostrar produtos similares para quem pesquisou o item também pode ser útil de acordo com a complexidade da venda.

Como criar uma página de produto realmente efetiva?

Está na hora de montar a página e existe um checklist para impulsionar os resultados que você pode conseguir. Separamos os 10 principais fatores para trabalhar na sua página de produto. Isso não significa que você não deve testar e monitorar a performance das páginas.

Como cada audiência reage de uma forma diferente, é importante criar testes A/B sempre que possível para descobrir quais fatores são mais relevantes para o seu negócio. Boas vendas!

1. Design bonito e envolvente

Esse é o seu showroom e você não precisará pagar aluguel, nem investir em estrutura física para que ele funcione. Por isso, aposte no layout da sua página sabendo que esse é um investimento que aumenta a conversão e, ao mesmo tempo, sairá mais barato do que a prateleira de uma loja física.

O neuromarketing apresenta um estudo de cores que pode ajudar a criar a combinação ideal de acordo com o nicho e o sentimento que você pretende despertar. Ainda é importante que o design da página de produto seja limpo, com fácil leitura e espaços de respiro (ou espaços em branco), que permitem ao usuário uma experiência melhor.

2. Linguagem de igual para igual

Ao descobrir quem é a persona do seu negócio, você também recebe dicas sobre como ela se comporta, nível de instrução e principais veículos de comunicação ela usa para se atualizar. A linguagem da sua página deve refletir tudo isso.

Claro, também é importante que a sua marca tenha uma identidade forte, no caso, um tom da fala. A Netflix, por exemplo, consegue fazer isso de forma muito acertada nas redes sociais. Para garantir que os textos sejam alinhados à audiência (mesmo que nem sempre será você que escreverá), desenvolva um manual de linguagem da marca para ajudar outros profissionais a escrever com qualidade e fortalecendo a marca.

3. Deixe todas as informações claras

Neste momento não há dúvida, o objetivo é fazer com que o visitante obedeça à chamada para ação. Pode ser um “compre agora” ou “adicionar ao carrinho”, mas antes disso, a pessoa provavelmente analisará todas os dados que você fornecer sobre o produto.

Observe se o máximo de informações é apresentado e ainda se a forma como isso é feito contribui para um entendimento claro.

Ainda é possível usar algumas ferramentas que ajudam no caso do surgimento de dúvidas. Uma delas é o chatbot, que pode esclarecer as questões mais frequentes que seus clientes têm e ainda, caso o usuário continue com alguma questão em aberto, podem encaminhar o consumidor para um atendente real.

4. Coloque comentários e depoimentos de clientes

Essa é uma estratégia de prova social, ao ver o que as outras pessoas dizem a respeito da sua marca e do produto, o lead sente maior segurança e credibilidade. A vantagem dos depoimentos espontâneos é que, além dos elogios, o cliente normalmente conta alguma objeção que tinha, ajudando o usuário a vencer suas objeções também.

Para coletar esse tipo de informação, você pode convidar todos os clientes a avaliarem o produto no site assim que o recebimento é informado. Você também pode aproveitar o poder das redes sociais, mostrando a quantidade de pessoas que segue a página da empresa e os amigos em comum.

5. Adicione vídeos para aumentar as chances de conversão

Talvez você já tenha passado pela experiência de ter comprado algo pela internet e, quando o produto chega em casa, ele não é exatamente do tamanho que você tinha imaginado ou não funciona como você pensou.

Isso é normal, mesmo com as dimensões do produto e textos sobre o uso, você não consegue pegar e observar o item. Um vídeo ajuda muito ao usuário ter uma noção mais fiel do tamanho, modo de uso e até mesmo formato do produto.

Além disso, as pessoas preferem assistir a um vídeo em vez de ler um texto. Esse é um formato mais atrativo e explicativo. Os vídeos têm maior poder de persuasão e aumentam a percepção de veracidade das informações.

6. Trabalhe vídeos que ajudam no aumento da confiança

Sim, os vídeos são mesmo os preferidos (mesmo que nem todas as pessoas sejam assim, é mais comum preferir assistir a um vídeo do que ler um texto sobre o mesmo assunto) e ainda podem ser usados para aumentar o poder de persuasão da sua página de produto. No carrossel de fotos do seu produto, além do vídeo do produto, sempre que possível adicione também depoimentos de outros clientes.

Esse tipo de produção aumenta a credibilidade, porque não é você falando sobre a sua empresa. O cliente terá maior empatia por esse tipo de vídeo. Além disso, existe uma percepção de que os depoimentos escritos são mais fáceis de serem simulados do que um vídeo.

7. Coloque uma chamada para ação clara e objetiva

Mesmo que a página de produto precise de muitas informações, a ideia é fechar negócio. O CTA (chamada para ação) não pode deixar o cliente ter alguma dúvida. Botões em cores contrastantes, textos bem resolvidos e legíveis são importantes para isso.

Você ainda pode deixar essa estratégia com maior conversão caso possa usar o gatilho da escassez. Por exemplo: “restam apenas 3 produtos deste” ou “esse preço só será válido até as 23h59 de hoje”. Fique atento apenas para não gerar informações enganosas. Caso o lead descubra, além de não comprar, ele pode se tornar um hater, fazendo uma propaganda negativa da sua loja.

8. Forneça meios de pagamentos viáveis

Existem duas questões quando o assunto são os métodos de pagamento. O primeiro é que o cliente deve se sentir seguro. Como um dos principais meios de pagar uma compra online é o cartão de crédito, o usuário precisa ter clareza de que suas informações não serão acessadas por terceiros.

Além disso, observe quais são as formas que a sua persona prefere usar. Dependendo dos valores de compra, é interessante oferecer a opção de pagamento com 2 cartões de crédito. Tenha pelo menos 2 meios de pagamento para que o consumidor possa escolher.

9. Otimize o design para mobile

Há 5 anos era comum que as pessoas fizessem as pesquisas em smartphones e finalizassem as compras no desktop ou notebook. Mesmo nessa época, a adaptação do layout para os diversos formatos de telas era muito importante. Afinal, era nesse meio que o processo de decisão da compra aconteceria.

Hoje, as pessoas já se sentem seguras de realizar a compra pelo celular, o que significa que todo o processo está cada vez mais acontecendo nesse meio. Por isso, cuide para que as suas páginas de produto sejam mobile friendly, o que inclui um rápido tempo de carregamento.

10. Crie uma oferta realmente atrativa

Não é apenas o preço que leva o consumidor a escolher o seu produto em vez de qualquer outra opção. A oferta é a forma como você posiciona a solução que está oferecendo.

Técnicas de copywriting podem ajudar na elaboração de um texto que agrega mais valor ao produto. Aproveite para falar das vantagens e lembrar da garantia. Ao mesmo tempo, seja breve e objetivo nesse momento, é importante evitar distrações e ajudar na decisão.

Como você viu criar uma página de produto que converte pode ser algo simples que irá turbinar seus resultados. Para isso, é importante que você saiba quem é a sua audiência e como ela se comporta. Além disso, esteja sempre atento com as mudanças, escute o que seus leads e clientes estão falando e quais são as tendências de mercado.